Chineses estão dando prejuízo aos Correios!

Segundo os Correios, os chineses estão dando prejuízo

Chineses estão dando prejuízo – Um dos grandes polos de e-commerce mundial, o comércio chinês é por sua vez muito lucrativo, e com isso, tende-se a uma variedade bem extensa de produtos, oferecidas ao público mundial.

A concorrência maltrata

A lei da oferta é clara, menor preço e uma boa qualidade, são cada vez mais procurados. Clientes de todo o mundo realizam compras pela internet, seja pelo celular, pelo computador ou qualquer dispositivo que acessa a mesma. Ao longo dos meses, a tecnologia se moderniza cada vez mais, entretanto, o acesso à internet fica cada vez mais fácil, conforme essa afirmativa, o número de compras pela internet, vem aumentando, e a tendência é só aumentar, principalmente através de sites especializados em vendas de produtos e com envio de produtos para outros países.

Insatisfação dos Correios

A insatisfação está cada vez mais clara por parte dos Correios, onde o mesmo acusa que as lojas Chinesas realizam manobras ao enviarem encomendas ao Brasil. Essa informação está circulando, pois conforme a organização, as empresas chinesas estão tirando proveito de uma brecha para entrega das mercadorias de forma mais barata aos brasileiros, onde essa manobra estaria gerando prejuízo, já que essa brecha usada está descrita em uma norma da União Postal Universal, tornando possível enviar remessas internacionais, de no máximo 2 quilos, de uma nação para outra sem necessidade de documentação, a chamada Carta Simples, ou seja, os Chineses estão dando prejuízo diretamente aos Correios.

Impressão é o maior medo?

Os correios também dizem, que o aumento no tempo de chegada dos itens comprados lá fora, prejudica seriamente os prazos de entrega aqui no brasil, e isso leva à má impressão dos consumidores nacionais de que, os métodos da empresa são ineficientes, conforme dados pesquisados, a China tem aproximadamente 200 mil pacotes enviados todos os dias. À procura de regulamentação dos serviços desse fato, a estatal revela que está trabalhando com órgãos internacionais, buscando impedir a tal prática dos chineses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito + 2 =